Bio

“Um carisma radiante e uma voz fascinante: a cantora, compositora e multi-instrumentista lança seu primeiro disco, Cancioneira, e apresenta um universo de sons brasileiros, jazz e world-music, passando longe dos clichês.”
Sedajazz Records, 2012, Valencia, Espanha – www.sedajazz.es

“…Entre tantas vozes, um diamante puro, diferente, especial e cativante.”
Miriam Reyes Gimeno – Revista 360 Grados – http://goo.gl/40gpE

.
“..Surpresa e paixão pela descoberta tão generosa de mais essa raridade brasileira.”

Musicoteca – www.amusicoteca.com.br

.
“Escuchar a Thaïs Morell es sumergirte en un mundo de colores cambiantes.
En unos minutos es capaz de hacer en pedazos los convencionalismos sobre la música brasileña y vetar la entrada del tedio porque en su hacer nada es previsible.”
Marta Ramón. L’Informatiu.com – 21 octubre 2011 –
“Thaïs Morell presenta el universo de su música” http://t.co/ZO6EBgX2

.
“Thaïs Morell é uma artista impecável e completa, cidadã do mundo,

um dos novos descobrimentos musicais atuais.”
Rubens de la Corte – Producer/Guitarist/Arranger (Angelique Kidjo) – Nova York, 2012 – www.rubesndelacorte.com

.

Crítica Revista B-Ritmos: http://www.b-ritmos.com/novedad/thais-morell

Crítica Festival Godejazz: http://www.godella.es/es/content/thais-morell-20-contra-la-indiferencia.

324052_293836120715452_2117114776_o

 

Pecaríamos de pouco originais se afirmássemos que podemos considerar a Thaïs como uma cidadã do mundo. Entretanto, talvez esta seja a melhor maneira de definir a esta paranaense, originaria da borbulhante Curitiba, que cruzou o planeta de norte a sul e de leste a oeste, tanto brindando sua arte e conhecimentos, como tratando de mergulhar em culturas variadas que têm em comum um grande acervo. De Curitiba, a Paris; de Finlândia, a Gana. Até que, há alguns anos, decidiu fixar residência em terras espanholas.

Com um carisma radiante, uma voz fascinante, a cantora e multiinstrumentista lançou seu primeiro disco, “Cancioneira” (Sedajazz Records, 2012), e apresentou um universo de sons brasileiros com toques de jazz e world-music, passando longe dos clichês. Agora, rodeada uma vez mais de excelente músicos e profissionais, Morell nos presenteia com sua segunda aventura discográfica: “Amaralina” (Sedajazz Records, 2015), é uma jóia que se desdobra em 14 belas canções e múltiplas sonoridades que vão muito além da música brasileira aliada ao jazz, apresentando novamente pinceladas de músicas do mundo, reafirmando assim seu sedutor estilo e personalidade musical cosmopolitas.

 Thaïs Morell pertence a essa nova geração de músicos brasileiros, com extensa formação e capazes de mover-se com facilidade em qualquer estilo musical. Com um show ao vivo impressionante, ao mesmo tempo intenso e delicado, mistura a MPB com uma diversidade de vertentes do Jazz e da World-Music, conquistando os mais variados públicos. Destacando-se pelo domínio que tem ao violão, desempenha com desenvoltura as funções de cantora, violonista e compositora em seu quinteto, formado por excelentes músicos da cena jazz espanhola: Ales Cesarini (baixo acústico), David Gadea (set de percussões), Alberto Palau (piano) e Latino Blanco (flauta/sax).

Principais apresentações ao vivo:Festival de la Lusofonía Cantos na Maré 2016 (Pontevedra, España), Le Baiser Salé (Paris, França), Festival Virada Cultural Paulista (SP, Brasil), Festival de Jazz de Cádiz (Cádiz, Espanha),La Bellevilloise (Paris, France), Festival de Música y Danza de Granada (Granada, Espanha), Festival Polisònic (Gandia, Espanha), Semana de Jazz de la Laguna (Tenerife, Espanha),Festival de Cine Montjuïc e Festival Día de Brasil (Barcelona, Espanha), Ciclo de Músicas del Mundo de Bilbao (Bilbao,Espanha), Festival de Jazz al Jardin Botánico, Jimmy Glass Jazz Bar (Valencia,Espanha), entre outros.

Leciona canto moderno e teoria musical/solfejo em Sedajazz Escola; Ofereceu workshops de Samba e/ou Canto Bossa Nova na Finlândia (Helsinki), Bélgica (Amberes), Estônia (Saüe), Espanha (Cádiz, Barcelona, Valencia, Madrid) e Gana (Accra). Como cantora de bossa nova e outros estilos brasileiros se apresentou em diversos festivais europeus: Art Goes Kapakka Festival (Helsinki, Finlandia), Festival de Jazz de Peñíscola (Peñíscola, Espanha), Pori Jazz Festival (Pori, Finlandia), Visioon Jazz Festival (Sauë, Estonia), PargiBossa Festival (Talina, Estonia); e también no Festival de Jazz IVAM (Valencia), Ciclo de World-Music Centro Cultural Carmen (Valencia), Ronnie Scott’s Bar (Londres, Inglaterra), Alliance Française d’Accra (Accra, Gana);

LINHA HORIZONTAL fina

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s